25.

Já a madrugada ia a meio quando ela se lembrou. Saíu de casa e subiu a infindável escadaria até ao topo do prédio, sempre com o devido cuidado para que ninguém desse pela sua presença. Subiu e sentou-se numa das telhas. Numa das mãos trazia o seu belo café. Forte como sempre. Na outra, o seu maço azul de uma marca barata. Ela sempre tivera preferência por marlboro mas naquela noite a marca pouco ou nada interessava. Apenas queria um dos seus calmantes. Aquele, o café e o telhado. Sentou-se e deliciou-se com o cilindro que tinha entre os dedos, acampanhando sempre com um golo do tal café. Era a combinação perfeita que ela tanto precisava. Presentiu que não iria dormir nada e então deixou-se deslizar pela telha até que esta ficou complectamente coberta pelo seu pequeno corpo. Após um grande suspiro e um vento que levou para longe as longas memórias que lhe albergavam a mente, olhou para o céu para ver se avistava alguma estrela. Mas nada,estava limpo e escuro.E por momentos, ela desejou ser o céu. Limpo e escuro.

14 comentários:

  1. Normal? é coisa que já não conheço á umas semanas :x
    Tenho cada vez mais textos para ele :| e simplesmente não os publico, porque ... já não faz sentido. Mas o meu problema com o blogue é que não o consigo "alimentar" ... não tenho paciência para escrever se não sobre ele . ! E isto é frustrante -.-'
    Força , preciso de tanta ! Doí-me pensar sequer em esquece-lo ...

    Obrigada querida ♥ !

    ResponderEliminar
  2. é realmente uma combinação maravilhosa e, olha, texto encantador. a parte final fez tanto sentido.

    ResponderEliminar
  3. e eu a ti desejo-te o mesmo! obrigada fofinha

    ResponderEliminar
  4. força minha querida *
    uau! esta muito lindo mesmo (:

    ResponderEliminar
  5. de nada ora essa, está mesmo bem escrito e de um certo modo faz tanto sentido *.*

    ResponderEliminar

deixa que as tuas ideias e pensamentos se direcçionem para a ponta dos teus dedos,e aqui,os deposites :)