E aquele amor deixou de o ser, de corpo. Porque de alma, vai deixando. Perdeu a sua forma nos lençóis cor de terra, quentes ao fim do dia. Deixou de dar uso ao copo de wisky em cima da mesa e de perfumar as ruas com o perfume daquele frasco fino com uma rosa desenhada. Deixou de se levantar cedo para receber beijinhos na testa e voltar a deitar-se, acompanhado. Aquele amor deixou de o ser para aquelas duas almas loucas. Aos poucos. Deixou de ser imprevisível e selvagem para passar a ser doloroso. Mais do que o costume. Mais do que todas as discussões começadas e acabadas aconchegadas. Nos braços um do outro, quando assim era. Ou então numa garrafa de cerveja ao fim da tarde e um cigarro apenas porque sim. Até isso aquele amor deixou de ser. Deixou de ser do cão e do gato. Esses, perderam a energia que lhes corria no sangue, todos os dias. O toca e foge. Odeia e ama. A adrenalina de terem a pele um do outro debaixo das unhas. O sabor a morango nos lábios. Os sorrisos rasgados. A camisa por apertar. A cabeça sobre o peito e a loucura no olhar. Aquele amor deixou de fumar do mesmo cigarro e de ser do tamanho da Lua. Deixou de andar à chuva e de dançar bons hits de rock. Aquele amor que era como a we found love da rihanna, literalmente. Que deixou de ser sweet child o'mine com um beijo na boca e duas almas de mão dada. Para ser don't cry com uma chávena de café na mão e duas almas que já não são. Um amor que já não é. Deixou de ser.

28 comentários:

  1. e no meio disto tudo, o nome do meu blog.:) está lindo, olha, está mesmo lindo patrícia!

    ResponderEliminar
  2. não tens de quê, obrigada eu, mesmo.:')

    ResponderEliminar
  3. obrigado querida patricia. e estas palavras estão completamente quentinhas :')

    ResponderEliminar
  4. não te esqueças que fazes parte dele:)

    ResponderEliminar
  5. como isso me agrada:) e, estou bem:)

    ResponderEliminar
  6. mas o que ele quer é isso mesmo, que percas a paciência e ainda faças algo mais por impulso. mas permanece calma e irás conseguir. ignora, ele não está com a outra? óptimo, para ele. é, a chuva já faz falta:) sim, tenho de estar!

    ResponderEliminar
  7. e quando é o fim..o amor vai aos poucos e apenas com o passar do tempo, desvanecendo-se e preenchendo vazios que o seu fim provocou..

    ResponderEliminar
  8. desculpa demorar tanto tempo a responder patricia, mas tenho andado um pouco ausente da blogosfera...
    btw, obrigada, fico muito contente que tenhas gostado, eu tambem gostei muito do teu blog e do texto tambem :)

    ResponderEliminar
  9. obrigada também, ainda bem que gostas :D

    ResponderEliminar
  10. és sim, eu acho:) sabes, nada de novo, aquela sensação que estás a chegar mesmo ao limite? conhece-la? tenho a certeza que sim.

    ResponderEliminar
  11. enfim, um dia tudo há-de ficar bem:)

    ResponderEliminar

deixa que as tuas ideias e pensamentos se direcçionem para a ponta dos teus dedos,e aqui,os deposites :)